Perambulações Citadinas

arquivo fotográfico
De cada vez que dava um passeio, sentia-se como se se deixasse a si próprio para trás e, entregando-se ao movimento das ruas, reduzindo-se a um olho que vê, era capaz de escapar à obrigação de pensar, e isto, mais que qualquer outra coisa, trazia-lhe uma certa paz, um salutar vazio interior.
Paul Auster